Assistência e Serviços Especiais

Pessoas com Deficiência (Casos Não Médicos)

Casos Não Médicos

Casos Não Médicos

  • Quais são os Casos Não Médicos?

    A Altitude ao viajar em avião, pode piorar certas enfermidades, apesar de serem muito poucas aquelas que impedem que uma pessoa possa voar.
    A deficiência é aquela condição sob a qual certas pessoas apresentam alguma deficiência física, cognitiva, intelectual ou sensorial que a longo prazo afetam a forma de interagir e participar plenamente na sociedade.
    A Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Incapacidade aprovada pela ONU (Organização das Nações Unidas) no ano de 2006, define de maneira genérica aqueles que possuem uma ou mais deficiências, como Pessoa com deficiência ou Pessoas com alguma deficiência.
    Para a OMS (Organização Mundial da Saúde) “Uma pessoa com deficiência é uma pessoa que apresenta restrições no tipo ou quantidade de atividades que pode realizar devido às dificuldades correntes causadas por uma condição física ou mental permanente ou maior a seis meses”.
    Os termos, denominações e a categorização de situações e de condições utilizadas por parte da Aerolíneas Argentinas/ Austral, se bem sejam aqueles reconhecidos pela ONU, OMS e as normas locais, em certos casos podem diferir devido a convenções e codificações estabelecidas a nível internacional na indústria aerocomercial.
    Aerolíneas Argentinas/Austral utiliza a Classificação Estatística Internacional de Enfermidades e Problemas Relacionados com a Saúde, décima revisão (CIE-10) e a Classificação Internacional do Funcionamento, da Deficiência e da Saúde (CIF) - ambos instrumentos da Organização Mundial da Saúde (OMS) - como guias para categorizar adequadamente cada situação que ocorra.
    Aerolíneas Argentinas/ Austral considera e inclui as pessoas com deficiência dentro de um grupo que se define como CASOS NÃO MEDICOS que em sua maioria não tem requisitos específicos para voar.
    Nota: Quando a aparição de uma limitação seja produzida ou manifestada recentemente (menos de 30 dias), inicialmente esses casos poderão ser considerados pela Aerolíneas Argentinas/Austral como CASOS MEDICOS, nos quais será necessária la intervenção do Departamento Médico da empresa.

     

     

  • Que aspectos são levados em conta pela Aerolíneas Argentinas /Austral para o transporte das pessoas com deficiência?

    Se bem uma pessoa com deficiência é aquela que tem alguma limitação física ou mental para realizar atividades básicas cotidianas ou atividades complexas destinadas a interagir com o meio, para o Transporte Aerocomercial as deficiências somente adquirem relevância quando pela condição física, mental, intelectual ou sensorial da pessoa, se requer nos Aeroportos uma atenção especial  e necessita uma atenção individual por parte das empresas aéreas no momento do embarque, desembarque, durante o voo e diante de uma eventual evacuação de emergência da aeronave.

    As limitações que se consideram relevantes a efeitos do Transporte Aerocomercial dentro daquelas Atividades da Vida Diaria Básicas (AVDB), se referem à Mobilidade funcional(deambulação e manipulação, sentar-se, permanecer sentado, mover-se no assento, mover-se de uma posição a outra, qualquer tipo de transferência, mudanças funcionais), e dentro das Atividades da Vida Diaria Instrumentais (AIVD) àquelas questões relacionadas e que interferem com as Respostas diante das emergências e os Procedimentos de Segurança (o conhecimento e desenvolvimento de estratégias para manter um ambiente seguro e saber agir e dispor dos meios necessários diante de situações de emergência, o que faz com que as pessoas com dificuldades para receber ou compreender as instruções e as pessoas com condutas problemáticas estejam consideradas neste grupo de limitações).
    Outro aspecto fundamental que a indústria aerocomercial e Aerolíneas Argentinas/ Austral levam em conta para o transporte aéreo de passageiros com deficiência, é a circunstância se a PESSOA COM DEFICIÊNCIA SE ENCONTRA VIAJANDO INDIVIDUALMENTE, ou a PESSOA COM DEFICIÊNCIA SE ENCONTRA VIAJANDO EM GRUPO.
    Neste último caso é imprescindível que o passageiro contate a empresa aérea previamente à sua viagem a fim de informar-se devidamente com respeito das restrições que possam surgir em relação ao tamanho das aeronaves, a quantidade máxima admissível de pessoas com deficiência em um mesmo voo e eventuais requerimentos de acompanhantes.

    No que diz respeito aos Atributos de Atividade e Participação das pessoas com deficiência, Aerolíneas Argentinas/Austral leva em conta a Classificação Internacional de Funcionamento, da Deficiência e da Saúde (CIF):

    Mudar as posturas corporais básicas (d410)
    Manter a posição do corpo (d415)
    Transferir o próprio corpo (d420)
    Andar distâncias curtas (d4500)
    Deslocar-se utilizando algum tipo de equipamento (d465)

    Para avaliar o grau de dificuldade da mobilidade, Aerolíneas Argentinas/Austral utiliza os Qualificadores da citada CIF que vão de uma menor a uma maior limitação, de 0 a 4, e que a continuação se descrevem:

    Sem dificuldade (0)
    Em uma tentativa, consegue realizar a atividade, mas em maior tempo em relação a como realizava antes de sua enfermidade ou no último mês (1)
    Em 2 a 3 tentativas/maior tempo/não consegue completar parte da atividade (2)
    Em 4 tentativas ou mais/ tempo não razoável/ Não completa a maior parte da atividade (3)
    Não consegue realizar a atividade (4)

    Assim, qualquer pessoa com deficiência, sua família, seu representante e os agentes de viagem podem conhecer com antecipação e consultar os guias utilizados pela Aerolíneas Argentinas/Austral para cada caso.

     

  • As pessoas com deficiência necessitam fazer alguma gestão em particular para voar com Aerolíneas Argentinas/ Austral?

    Na Aerolíneas Argentinas/Austral a maioria de nossos passageiros com alguma deficiência não necessitam fazer gestões especiais para efetuar uma reserva, adquirir suas passagens e realizar seu voo.
    Em geral não se requer realizar com antecipação nenhum trâmite extraordinário nem completar formulário algum salvo naqueles casos onde os passageiros solicitam o fornecimento de serviços não acessíveis normalmente a todos os passageiros, seja em terra, no pré-embarque, nos pontos de conexão e/ou de chegada, e/ou para embarcar, desembarcar, ou a bordo das aeronaves.
    Nessas situações, Aerolíneas Argentinas/Austral demandará seus maiores esforços a fim de fornecer aos passageiros o serviço especial solicitado, sempre que o mesmo dependa da companhia aérea e seja requerido ao menos 48 horas antes da saída do voo.
    Aerolíneas Argentinas/Austral facilitará o atendimento e limitará ao máximo suas restrições e exigências particulares a fim de contribuir com o transporte aéreo de todas as pessoas, sempre e quando se cumpram os aspectos de segurança impostos pela atividade aerocomercial e suas regulações.
    A Empresa, baseando-se em ditos aspectos, se reserva a faculdade de exigir em determinados casos o cumprimento de certas condições a seus passageiros para realizar o voo ou, em casos excepcionais, poderia negar o transporte baseada em aspectos de segurança impostos pela atividade aerocomercial e suas regulações.
    As pessoas com deficiência que não precisam autorização médica para seu transporte nem devem cumprir outro requisito, que são aquelas capazes de subir, descer ou mover-se dentro do avião sem ajuda de outra pessoa, se categorizam como AMBULATORIAIS
    Aquelas pessoas que possuam deficiências devido a enfermidades recentes ou que se encontrem em períodos agudos, de brotes e exacerbações de suas enfermidades de base, deverá analisar a viabilidade de realizar o voo em dito momento e em caso de considerá-lo, a empresa aérea, poderia solicitar avaiação do Departamento Médico da Aerolíneas Argentinas/Austral sob os critérios aplicáveis aos CASOS MEDICOS
    Existem diferenças para o transporte aéreo de Pessoas com deficiência viajando em Grupo e Pessoas com deficiência Viajando individualmente. Se viaja em grupo deve consultar previamente a Aerolíneas Argentinas/Austral com suficiente antecipação.

     

  • Há alguma diferença se as pessoas com deficiência viajam sozinhas ou em um grupo?

    A resposta é Afirmativa. Se estabeleceu um número máximo de pessoas com deficiência viajando sozinhas em um mesmo voo segundo o tipo e tamanho das aeronaves e da quantidade de portas de emergência com que conta o avião em questão. Algumas pessoas com deficiência podem chegar a requerir viajar com um acompanhante para que os assista e apoie nos procedimentos de emergência e para mover-se a bordo.
    Para aquelas pessoas com deficiência que integram um grupo com outras pessoas com deficiência viajando em um mesmo voo da Aerolíneas Argentinas/Austral (por ex. desportistas, viagem de turismo, viagem de estudo, etc.), existe um número máximo de pessoas com deficiência viajando em grupo, dependendo do voo e da aeronave e se costuma solicitar que viajem com acompanhantes cuja quantidade se adapta proporcionalmente ao número de pessoas que conformam o grupo em questão, segundo o estabelecido em procedimentos específicos. Os representantes, delegados, agentes de viagem ou instituições do grupo de pessoas com deficiência que viajam em um mesmo voo de Aerolíneas Argentinas/Austral deverão consultar com a Empresa no momento de organizar a viagem com suficiente antecipação à data prevista a fim de conhecer todas as condições aplicáveis para tornar efetivo esse voo.

     

  • As pessoas com deficiência devem completar e entregar certificado médico prévio à realização do voo para Aerolíneas Argentinas/Austral?

    A resposta é não. As pessoas com deficiência não necessitam cumprir nem entregar documentação médica alguma. Tão pouco se requer a intervenção nem a autorização do Departamento Médico da Aerolíneas Argentinas/Austral, se bem que em algumas ocasiões pode ser necessário consultá-lo diante de dificuldades na classificação do caso ou quando se evidencie um sério compromisso de saúde ou deterioro do estado geral da pessoa que criem dúvidas razoáveis de suas possibilidades de completar o voo em forma segura sem risco de sofrer agravamento ou morte durante o transporte ou por consequência do mesmo. Estas últimas situações descritas são consideradas dentro dos CASOS MEDICOS e possuem requisitos específicos.

    Somente aquelas pessoas com algumas deficiências devido a enfermidades recentes, ou que se encontrem em períodos agudos, de brotes e exacerbações de suas enfermidades de base, poderiam ser avaliadas pelo Departamento Medico da Aerolíneas Argentinas/Austral sob os critérios aplicáveis nos casos médicos.
    Existem diferenças para o transporte aéreo de Pessoas com deficiência Viajando em Grupo e Pessoas com deficiência Viajando individualmente.
     

     

  • Quando, por que e para que resulta necessário que uma pessoa com deficiência forneça informação para a Aerolíneas Argentinas/Austral?

    Aquelas pessoas com deficiência que necessitem apoio ou assistência especial em terra e/ou por parte da tripulação durante uma evacuação de emergência ou durante o voo (aquelas com capacidade e/ou mobilidade reduzida que não são capazes de subir, descer ou deslocar-se dentro do avião sem ajuda) categorizadas como NÃO AMBULATORIAIS e as PESSOAS COM DIFICULDADES PARA COMPREENDER, receber ou cumprir com as instruções de emergência e a evacuação de uma aeronave, para subir a bordo e realizar um voo, devem completar um formulário homologado internacionalmente na atividade aerocomercial denominado por suas siglas em inglês INCAD (Incapacitated Passangers Handling Advise).
    A finalidade de completar este formulário é compartilhar informação entre o passageiro, a empresa aérea e entre as diferentes empresas aéreas envolvidas nas reservas de suas passagens e a viagem por via aérea, com respeito à assistência requerida com a finalidade de analisar sua disponibilidade ou em seu efeito recorrer à alternativas de adaptação e ajustes razoáveis, coordenando em tempo e forma oportuna o fornecimento do serviço solicitado. Se garante bem a acessibilidade e um trasporte adequado a todas as pessoas por igual.
    Se um voo é operado por uma empresa aérea de nossa aliança ou se efetua em código compartilhado com outras empresas aéreas, é possível que possam existir diferenças de critérios e distintas restrições, motivos pelos quais as pessoas com deficiência que necessitem de serviços e apoios requeridos, deverão contatar a empresa aérea com antecipação a fim de detalhar ditas necessidades e evitar inconvenientes de último momento.
    Nota: Quando as limitações se tenham produzido ou manifestado em forma recente (em geral dentro dos 30 dias prévios à data prevista para realizar um voo) estas serão consideradas inicialmente como situações médicas ou CASOS MEDICOS. Será necessário nestes casos a intervenção do Departamento Médico da Empresa.
    Existem diferenças para o transporte aéreo de Pessoas com deficiência Viajando em Grupo e Pessoas com deficiência viajando individualmente.

     


Ver mais
Que informação pode ser requerida por Aerolíneas Argentinas/Austral a uma pessoa com deficiência?

Que informação pode ser requerida por Aerolíneas Argentinas/Austral a uma pessoa com deficiência?

  • INCAD (Incapacitated Passengers Handling Advise)

    Com a finalidade de coordenar em tempo e forma oportuna o fornecimento do serviço solicitado, garantir o transporte adequado e/ou facilitar ou permitir a correta categorização de casos duvidosos, tendo em conta a Segurança Aérea e a do Passageiro, em ocasiões se requerirá a uma pessoa com deficiência completar por si mesma e firmar – ou em caso de impossibilidade de fazê-lo por si mesma através de um terceiro que a represente - um formulário chamado INCAD (Incapacitated Passengers Handling Advise)O referido formulário pode ser consultado e impresso para ser completado a mão aquí.

    Se trata de um intercâmbio de informação para facilitar e assegurar ao máximo a viagem da pessoa com deficiência. Graças a essa gestão à distância, se permitirá indagar devidamente sobre o estado e condições do passageiro com capacidade limitada, sobre as recomendações ou condições que se requerem para assegurar sua viagem.
    Não se necessita nestes casos, efetuar uma consulta nem pedir a intervenção de nenhum médico para completar o INCAD já que resulta suficiente com que a pessoa com deficiência informe em caráter de declaração jurada sobre suas necessidades especiais.

    Junto à declaração jurada se solicitará à pessoa com deficiência que facilite os dados do profissional que o assiste em sua deficiência, que conheça sua situação e com a finalidade de ser consultado pelo Departamento Médico da Aerolíneas Argentinas/Austral se assim solicitado pela empresa aérea.
    É importante ressaltar que deverá responder-se todos os items do formulário. Isto evitará demoras mútuas durante a reserva da passagem, nos aeroportos e até ter que adiar a data da viagem.

    Deverá contatar o setor de Serviços Especiais através do Call Center da Aerolíneas Argentinas/Austral a fim de obter a Informação pertinente com respeito às suas necessidades e coordenar a assistência e apoio do caso.

    No dia de seu voo, deverá levar consigo em lugar acessível (em mãos ou na bagagem de mão, não na bagagem despachada), junto com a documentação pessoal exigível (DNI, PASAPORTE, VISA, etc.) o original do INCAD e duas cópias mais que lhes serão requeridas ao efetuar o Check-In para ser coletados e validados contra a informação previamente fornecida. Após a ratificação e validação da documentação, será retido o original do formulário INCAD.
    Uma das cópias do formulário INCAD poderá ser requerida pela tripulação no momento de embarcar e a outra cópia será de máxima utilidade para o passageiro nos aeroportos, nas escalas, no destino, e para ser exibida no momento de encarar a volta ou o regresso do voo.
    Existem diferenças para o transporte aéreo de Pessoas com deficiência Viajando em Grupo e pessoas com deficiência viajando individualmente

     


Ver mais
Tipos de deficiências

Tipos de deficiências

  • Que tipo de deficiências e situações são de consulta frequente para voar?

    Pessoas que podem mover-se por seus próprios meios e que são capazes de subir, descer ou mover-se dentro do avião sem ajuda ou com uma pequena ajuda de qualquer outra pessoa (AMBULATORIAIS)
    Pessoas com mobilidade reduzida
    Exemplos:

    -Parésias ou diminuição de força ou sensibilidade dos membros inferiores
    -Plegias ou paralisia ou ausência de movimento de membros
    -Pessoas com monoplegia ou paralisia que afeta somente um membro
    -Pessoas com hemiplegia ou paralisia que abarca um lado do corpo.
    -Pessoas com amputação de um ou parte de seus membros inferiores
    -Esclerose Múltipla
    -Esclerose Lateral Amiotrófica
    -Mal de Parkinson
     

     


Ver mais
Transporte em cadeiras de rodas

Transporte em cadeiras de rodas

  • Viajando com sua própria cadeira de rodas

    INFORMAÇÃO IMPORTANTE: em caso que a cadeira de rodas que pretenda transportar seja impulsionada por baterias, deverá completar e apresentar no aeroporto um formulário. O mesmo terá caráter de declaração jurada (os dados consignados nessa declaração implicam assumir responsabilidade diante de qualquer inconveniente que a cadeira produza devido a uma declaração incorreta)

    FORMULARIO PARA TRANSPORTE DE CADEIRAS DE RODAS

    Os passageiros com mobilidade reduzida poderão transportar sua cadeira de rodas sem custo adicional.

    Aqueles que viajarem com sua própria cadeira de rodas, Aerolíneas Argentinas/Austral lhes oferecerá um serviço de cortesia. Este serviço permite trasladar o passageiro desde a área de check-in até o avião e desde o avião até o setor de chegadas.

    Aerolíneas Argentinas/Austral somente transporta cadeiras de rodas manuais e cadeiras de rodas fixas ou dobráveis impulsionadas com Baterias Não Derramáveis.
    As cadeiras de rodas se transportam unicamente como bagagem no porão.
    Aerolíneas Argentinas/Austral NÃO transporta cadeiras de rodas impulsionadas por Baterias Derramáveis nem impulsionadas por Baterias de Litio como bagagem.
    No dia do voo, a pessoa com deficiência deverá apresentar-se no aeroporto 120 minutos antes da saída de seu voo doméstico e 180 minutos antes da saída de seu voo regional ou internacional.


    É importante levar em conta que o Pessoal da Aerolíneas Argentinas/Austral deverá verificar visualmente a bateria para confirmar que a mesma é apta para ser transportada por via aérea. Se para isso for necessário desmontar alguma parte da cadeira, lhe solicitamos se apresente no aeroporto provido das ferramentas necessárias para poder realizá-lo e também as ferramentas adequadas para proceder a desconexão e a retirada da bateria da cadeira de rodas, o que deverá fazer por si mesmo ou por seus acompanhantes já que o pessoal da empresa aérea não está habilitado nem autorizado a fazê-lo.
    As cadeiras de rodas fixas ou dobráveis impulsionadas com baterias Não Derramáveis, serão transportadas como bagagem no porão, sempre e quando a bateria se encontre perfeitamente colocada na cadeira de rodas, desconectada, e sus terminais isolados, para prevenir curtocircuitos ou qualquer acionamento acidental da cadeira.
    As cadeiras de rodas “manuais” também serão despachadas no porão.
    Recomendamos conservar na bagagem de mão todos os acessórios que possam ser extraviados: almofada, apoio para os pés, anti escaras, entre outros.
    Por regra geral, todos os tipos de cadeiras de rodas elétricas e/ou manuais devem transportar-se como bagagem despachada, por isso se deve ter em conta que não se poderá recuperar a cadeira durante uma conexão longa nem imediatamente ao sair do avião. A cadeira de rodas se entregará no desembarque.
    O pessoal atuante, em caso de ser necessário, fornecerá ao passageiro uma cadeira de rodas, ou o ajudará a deslocar-se para uma outra (NÃO O TRANSFERIRA) se estiver ocupando a própria, embarcando esta última no porão.

     

    BATERIAS NÃO DERRAMÁVEIS (Non Spillable)
    As baterias NÃO DERRAMÁVEIS são aquelas que se encontram identificadas com a legenda correspondente.
    Para o caso que sua bateria não conte com esta “legenda”, deverá considerá-la como DERRAMÁVEL.
    Legendas de baterias NÃO DERRAMÁVEIS.
    Toda bateria que não tenha a “identificação” de NÃO DERRAMÁVEL (ou qualquer de suas variantes), será considerada DERRAMÁVEL.

    Descripción: A description...


    BATERIAS DERRAMÁVEIS (Wet batteries – spillable)
    Aerolíneas Argentinas/Austral NÃO TRANSPORTAM como bagagem aquelas cadeiras de rodas impulsionadas com BATERIAS DERRAMÁVEIS. Somente poderá despachar a cadeira de rodas sem sua bateria.
    As BATERIAS DERRAMÁVEIS somente poderão ser transportadas como CARGA. Para voos Domésticos, contatar a jetpaq@aerolineas.com.ar ou ao TEL +54-11-4130-4000 e para voos Internacionais a aerolineascargo@aerolineas.com ou ao TEL +54-11-4480-6396/ 6264.
    Toda bateria que não tenha a “identificação” de NÃO DERRAMÁVEL (ou qualquer de suas variantes), será considerada DERRAMÁVEL

    Descripción: A description...


    BATERIAS DE LITIO / LiFePO4
    Aerolíneas Argentinas/Austral transporta cadeiras de rodas impulsionadas com BATERIAS de LITIO como bagagem.

    No caso que necessite transportar BATERIAS de LITIO você deverá consultar com o Setor Cargas. Para voos Domésticos contatar a jetpaq@aerolineas.com.ar ou ao TE +54-11-4130-4000 e para voos Internacionais a aerolineascargo@aerolineas.com ou ao TE +54-11-4480-6396/ 6264.

    Descripción: A description...

                        

    · Solicitação de fornecimento de cadeira de rodas>>

    É responsabilidade dos operadores do aeroporto assistir a qualquer pessoa que apresente alguma deficiência durante sua permanência no Terminal desde sua entrada até sua saída, incluídas a deficiência intelectual e outros impedimentos tais como a idade ou qualquer outra causa de limitação.
    As empresas aéreas podem proporcionar ao operador do aeroporto, a informação antecipada para que este possa oferecer um serviço adequado. Para permitir que sua solicitação chegue a tempo, contate-nos pelo menos 48 horas antes do voo.


    Aerolíneas Argentinas/Austral disponibilizam cadeiras de rodas para facilitar o traslado e movimento de passageiros com capacidades diferentes, que poderão viajar sozinhos ou com um acompanhante hábil segundo o grau de sua deficiência. Devem solicitar-se no momento da reserva, com uma antecipação mínima de 24 horas.
    O pessoal atuante, em caso de ser necessário, fornecerá ao passageiro uma cadeira de rodas para o deslocamento dos passageiros com essa necessidade, dentro do Aeroporto.
    Adicionalmente, se as circunstâncias requerirem, e o aeroporto disponibilizar destes meios, poderá utilizar-se um elevador para o acesso ao avião.

     

  • Solicitação de fornecimento de cadeira de rodas

    É responsabilidade dos operadores do aeroporto assistir a qualquer pessoa que apresente alguma deficiência durante sua permanência no Terminal desde sua entrada até sua saída, incluídas a deficiência intelectual e outros impedimentos tais como a idade ou qualquer outra causa de limitação.
    As empresas aéreas podem proporcionar ao operador do aeroporto, a informação antecipada para que este possa oferecer um serviço adequado. Para permitir que sua solicitação chegue a tempo, contate-nos pelo menos 48 horas antes do voo.

    Aerolíneas Argentinas/Austral disponibilizam cadeiras de rodas para facilitar o traslado e movimento de passageiros com capacidades diferentes, que poderão viajar sozinhos ou com um acompanhante hábil segundo o grau de sua deficiência. Devem solicitar-se no momento da reserva, com uma antecipação mínima de 24 horas.
    O pessoal atuante, em caso de ser necessário, fornecerá ao passageiro uma cadeira de rodas para o deslocamento dos passageiros com essa necessidade, dentro do Aeroporto.
    Adicionalmente, se as circunstâncias requerirem, e o aeroporto disponibilizar destes meios, poderá utilizar-se um elevador para o acesso ao avião.
     

     


Ver mais
Pessoas com deficiências sensoriais, cognitivas, motoras

Pessoas com deficiências sensoriais, cognitivas, motoras

  • Deficiências da visão, da audição, da fala, da comunicação, etc.

    -Deficiência visual
    -Deficiência auditiva
    -Deficiência visual viajando com cães-guia

    Pessoas com dificuldades para compreender ou seguir instruções.
    Dificuldade de seguir instruções de emergência e de enfrentar e completar a evacuação de uma aeronave, e/ou que apresentem condutas problemáticas (violentas ou de risco, comportamento auto-prejudicial, perturbadores, importunos ou irritantes, que supõem uma interferência com o meio e que carecem de um controle apropriado das reações ao stress, de seu ambiente físico e social e que são difíceis de modificar mediante ordens verbais).

     

  • Pessoas com deficiências cognitivas

    -Atraso no Desenvolvimento
    -Distúrbios mentais Graves
    -Epilepsia
    -Pessoas que não podem caminhar, subir ou descer escadas, deslocar-se em terra nem a bordo ou que não são capazes de subir, descer ou deslocar-se dentro do avião sem ajuda importante ou dependentes de outras pessoas (NÃO AMBULATORIAIS).

    Para obter informação adicional e específica sobre a Classificação Internacional do Funcionamento, da Deficiência e da Saúde (CIF) pode consultar em: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs352/es/
     

     

  • Pessoas com Deficiências motoras

    Exemplo:
    -Paraplegia ou paralisia que compromete somente os membros inferiores
    -Hemiplegia com paralisia que abarca um lado do corpo.
    -Quadriplegia ou tetraplegia com paralisia que compromete as quatro extremidades
    -Amputações ou ausência de ambos membros inferiores
    -Amputações ou ausência dos quatro membros
    -Paralisia Cerebral

    Para obter informação adicional e específica sobre a Classificação Internacional do Funcionamento, da Deficiência e da Saúde (CIF) pode consultar em: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs352/es/


    Pessoas com outras situações e deficiências
    -Idosos
    -Corpulentos

     

  • Quando Aerolíneas Argentinas/Austral pode exigir que a pessoa com deficiência viaje com um acompanhante?

    Para sua própria segurança e a de terceiros durante uma evacuação de emergência de uma aeronave, uma pessoa com deficiência deverá viajar com acompanhante se é incapaz de realizar as seguintes ações:
    • caminhar
    • subir, descer ou deslocar-se dentro do avião
    • sentar-se e levantar-se
    • chegar à uma saída de emergência sem ajuda
    • comunicar-se com a tripulação sobre temas de segurança
    • afivelar ou desafivelar o cinto de segurança
    • recuperar e colocar o colete salvavidas
    • colocar uma máscara de oxigênio

    A função do acompanhante é considerada como uma Assistência sobre Segurança (papel do guia, assistente ou ajudante).
    O cão-guia se considera um acompanhante válido para um passageiro com deficiência visual ou auditiva severa.
    Em algumas ocasiões quando o estado ou a condição da pessoa com deficiência e quando suas necessidades de assistência ou apoio sejam tais que resulte impossível a uma só pessoa satisfazer essa ajuda (por ex. Passar a pessoa de um assento a outro, transferi-la de uma cadeira de rodas, pará-la, sentá-la ou segurá-la, descer ou subir as escadas do avião nos aeroportos que não disponham de mangas ou elevadores), Aerolíneas Argentinas/Austral poderá exigir mais de um acompanhante hábil por passageiro. Independentemente disso, Aerolíneas Argentinas/Austral fará todos os ajustes razoáveis para colaborar na movimentação do passageiro com deficiência mas em deixar de contemplar aquelas restrições que nos impedem de movimentar pessoas nem exceder o limite máximo de peso estabelecido por trabalhador para a carga e descarga nem forçar as posições ergonômicas que se devem respeitar para evitar lesões em nosso pessoal.

    Ao exigir a uma pessoa com deficiência que viaje com acompanhantes, Aerolineas Argnetinas/Austral, apesar de considerar e conhecer o direito que nos assiste a todos de assumir  diferentes riscos, prioriza os aspectos relacionados com a Segurança Aérea e a evacuação de emergência da aeronave.

     

  • Pode um passageiro com deficiência, escolher livremente sua localização no avião?

    Os passageiros com deficiências podem viajar sozinhos nos assentos, ocupando um ou mais assentos segundo se contempla na Política de Aerolíneas Argentinas/Austral, e às vezes devem fazê-lo acompanhados por uma pessoa adulta maior de 18 anos, segundo determinado pela empresa.
    Se exige às empresas de transporte aéreo que determinem, de maneira não discriminatória, se um passageiro pode cumprir com o desempenho necessário para ocupar um assento localizado na fila de uma saída de emergência. Os passageiros que ocupem um assento localizado nas filas de saída de emergência devem poder realizar as seguintes funções:
    • Compreender as instruções para acionar a porta de emergência.
    • Seguir as instruções dadas por um membro da tripulação.
    • Possuir suficiente mobilidade, força ou destreza em ambos braços, mãos e pernas.

    O passageiro que ocupe um assento localizado na fila da saída de emergência deve:
    • Ser maior de 15 anos
    • Ser capaz de realizar as funções pertinentes sem a ajuda de um acompanhante, pai ou outro parente adulto.
    • Ser capaz de ler e entender as instruções relacionadas com evacuações de emergência fornecidas por Aerolíneas Argentinas/ AUSTRAL.
    • Ter a suficiente capacidade visual e auditiva para realizar as funções pertinentes sem assistência.
    • Ser capaz de dar informação oral em inglês adequadamente a outros passageiros

    O passageiro que ocupe um assento localizado na fila da saída de emergência não deve:
    • Requerer nem utilizar oxigênio suplementar.
    • Necessitar de extensão para afivelar seu cinto de segurança.
    • Ter uma enfermidade ou uma responsabilidade, como cuidar de crianças pequenas, que possam impedir que realize as funções pertinentes.
    A empresa aérea não pode negar o transporte a uma pessoa com deficiência em determinadas condições mas pode negar-se a confirmar um assento na fila de saída de emergência ou uma determinada localização para um passageiro que não possa realizar as funções descritas.
    Aerolíneas Argentinas/Austral não pode admitir o transporte de pessoas que não possam utilizar durante todo o voo em forma permanente o assento em posição vertical a 90 graus (sem reclinar), dado que em certas circunstâncias, por questões operacionais, isto poderá resultar ser obrigatório.
    Quando Aerolíneas Argentinas/Austral requeira que uma pessoa com deficiência viaje com um acompanhante hábil, este último deverá viajar sempre em uma posição contígua à que ocupa o passageiro, entendendo-se por isso na mesma fila, ou na próxima imediata na frente ou atrás ou lateral, na mesma Classe. Em geral se determina - e muitas vezes se exige - a localização do acompanhante junto à pessoa com deficiência que assistirá a bordo e durante o voo.
    Quando uma pessoa com deficiência viaje acompanhado por decisão própria sem ter sido imposto o requerimento de um acompanhante hábil de parte da Aerolíneas Argentinas/Austral, ele ou os acompanhantes poderão viajar em qualquer posição independentemente da que ocupa o passageiro com deficiência, mesmo que em classe diferente. Em geral se determina - e muitas vezes assim nos é solicitado – localizar ambas pessoas juntas ou contíguas.
    Se o voo realiza alguma escala, os passageiros com limitações poderão permanecer a bordo, sempre que a empresa o autorize ou segundo as normas enquanto a aeronave é abastecida de combustível.
    Pessoas com deficiência que viajam em Grupo:
    Se o transporte for de um grupo de passageiros com deficiências (10 pessoas inclusive ou mais), se deverá contatar o setor de Serviços Especiais da empresa, que coordenará o atendimento do mesmo.
    Estes passageiros deverão estar sempre acompanhados por pessoas hábeis, determinadas pela mesma associação ou grupo:
    Os passageiros com mobilidade reduzida e com deficiências, auditivas ou de comunicação, deverão ter um acompanhante a cada doze membros.
    Os grupos de passageiros das categorias, A3, A4 e B, necessitarão de um acompanhante hábil por cada passageiro com capacidade reduzida.
    Os grupos de passageiros com deficiência visual deverão viajar com um acompanhante a cada duas pessoas.


    Pessoa com deficiência que viaja individualmente:
    O máximo admissível por avião, de passageiros com dificuldades totais ou parciais é o seguinte:
    A340/A320: 5 (cinco), (somente dois com necessidade de auxílio)
    B737: 5 (cinco), (somente dois com necessidade de auxílio)
    Embraer: 5 (cinco), (somente dois com necessidade de auxílio)
    A efeitos de cálculo, dentro das cifras máximas indicadas por cada tipo de avião, não se incluem os passageiros com deficiências visuais, auditivas, ou de comunicação.
    O número máximo de passageiros com deficiência viajando individualmente por voo, não se considera pela empresa como “Grupo”.
    O cão-guia se considera acompanhante válido para um passageiro com deficiência visual ou auditiva.

     

  • O que ocorre se uma pessoa com deficiência acredita que é capaz de viajar sozinha (sem acompanhante) mas AEROLÍNEAS ARGENTINAS/AUSTRAL considera o contrário?

    Em alguns casos excepcionais, quando a pessoa com deficiência está impossibilitada de realizar certas atividades sem ajuda não resulte clara e indiscutivelmente evidenciável, ou quando devido à natureza da deficiência e o desenvolvimento de habilidades suficientes que compensem as limitações funcionais dessa pessoa, gerar uma dúvida razoável que permita considerar que pode viajar sozinha em avião de linha comercial, e apesar destas duas questões prévias, Aerolíneas Argentinas/Austral decidir tendo em conta as exigências do transporte aéreo, que essa pessoa com deficiência deverá realizar a viagem com acompanhante, a empresa, (após a oportuna intervenção e a devida assessoria e opinião de seu Departamento Médico), poderá considerar a alternativa de assumir parte do custo da passagem do acompanhante.

     


Ver mais